Arquivo da categoria: Sem categoria

Monte Pascoal Futebol Clube – 06 edições da antiga terceira divisão de Pernambuco

Por José Henrique, 26/09/2020

Fundado em 10 de maio de 1952 por José Rodrigues de Souza e Maria de Mercês Barbosa de Souza, o Monte Pascoal que carregava consigo as cores verde e preta, foi um dos principais clubes suburbanos entre os anos de 1976 até 1987.

Continuar lendo
Publicidade

Íris S.C. Campeão Pernambucano da 2ª divisão em 1935

Por José Henrique – 22 de janeiro de 2020

Recorte original do jornal Diário de Pernambuco, no ano de 1935, na matéria em si o destaque para o título do Íris Sport Club que em 1936 enfrentaria o Club Sportivo da Encruzilhada em uma melhor de três para ver que iria disputar o campeonato pernambucano da 1ª divisão em 1936.

Clique na imagem para ampliar.

Club Sportivo da Encruzilhada

Por José Henrique, 21 de janeiro de 2020

 
Ficha do Clube
Nome
Club Sportivo da Encruzilhada
Fundação
06 de janeiro de 1917
Localização
Recife – Capital — Bairro da Encruzilhada
Mascote
Periquito verde
Status
Extinto
Competição
Campeonato Pernambucano de 1935

O Club Sportivo da Encruzilhada foi um time de futebol da cidade do Recife, fundado em 06 de janeiro de 1917, se ainda estivesse em atividade o clube estaria com 103 anos de estrada, porém o clube está com as portas fechadas desde 1936 quando ainda tentou disputar o campeonato da segunda divisão daquele ano e não obteve sucesso.

Sua sede estava localizada na Rua Castro Alves s/n no Bairro da Encruzilhada no centro do Recife.

Em sua história os Camisas Verdes do bairro da Encruzilhada estiveram presentes em 07 edições do Campeonato Pernambucano de Futebol entre os anos de 1929 e 1935 e sua melhor campanha foi no ano de 1930, quando chegou no incrível 3º lugar do campeonato atrás apenas de Torre S.C. e América F.C. (campeão e vice respectivamente).

Porém nos anos seguintes o clube ficou conhecido por ser um verdadeiro saco de pancadas, tomando goleadas que ão se vê nos dias atuais, como por exemplo no ano de 1935 quando o clube levou acachapantes 15 x 2 do Náutico.

Ao longo de suas 7 participações no campeonato pernambucano o clube conseguiu os seguintes números:

1929:
Jogos: 13 
Vitórias: 02
Empates: 03
Derrotas: 08
Gols Pró: 13
Gols Contra: 21
Pontuação: 07 pts
Colocação geral: 7º entre 08 clubes

1930:
Jogos: 09
Vitórias: 05
Empates: 00
Derrotas: 04
Gols Pró: 12
Gols Contra: 15
Pontuação: 10 pts
Colocação geral: 3º entre 08 clubes;

1931:
Jogos: 10
Vitórias: 04
Empates: 01
Derrotas: 05
Gols Pró: 33
Gols Contra: 35
Pontuação: 09 pts
Colocação geral: 9º entre 11 clubes;

1932:
Jogos: 08
Vitórias: 01
Empates: 01
Derrotas: 06
Gols Pró: 12
Gols Contra: 22
Pontuação: 03 pts
Colocação geral: 10º entre 11 clubes;

1933:
Jogos: 14
Vitórias: 04
Empates: 01
Derrotas: 09
Gols Pró: 22
Gols Contra: 61
Pontuação: 09 pts
Colocação geral: 7º entre 14 clubes;

1934:
Jogos: 14
Vitórias: 04
Empates: 04
Derrotas: 06
Gols Pró: 28
Gols Contra: 41
Pontuação: 12 pts
Colocação geral: 5º entre 08 clubes;

1935:
Jogos: 14
Vitórias: 02
Empates: 03
Derrotas: 09
Gols Pró: 29
Gols Contra: 66
Pontuação: 07 pts
Colocação geral: 7º entre 08 clubes;

O primeiro clube oficialmente rebaixado no estadual

(Teoria por falta de provas: no ano de 1935 o América foi o lanterna com 05 pts, porém teve um jogo não disputado contra o Flamengo do Recife o que pode ter lhe rendido pontos por W.O. levando assim o clube ultrapassar o Encruzilhada no quesito de Saldo de Gols, jogando a lanterna para o clube da Encruzilhada)

Considerando a teoria acima, ainda no ano de 1935 o Íris Sport Club se sagrava campeão da 2ª divisão e então com o Encruzilhada tendo terminado a competição na lanterna, a Federação determinou uma melhor de três contra o campeão da 2ª divisão no caso o Íris para ver quem teria o direito de disputar a 1ª divisão em 1936.

Recorte de 1936 – Diário de Pernambuco
Infelizmente não temos os resultados da melhor de três, porém este recorte de jornal indica que o clube foi derrotado pelo Íris e foi desqualificado para a 2ª divisão em 1936.

Porém no ano de 1936 a 2ª divisão pernambucana não aconteceu pela falta de clubes inscritos (apenas Encruzilha e Great Western estavam inscritos) o que levou o clube a ter esperança de disputar a 1ª divisão mais uma vez, o que não se concretizou e o clube acabou fechando as portas oficialmente em 1936.

E Assim fica mais um clube histórico registrado em nosso Acervo Futebolístico Pernambucano.

Escudo encontrado na Internet Atualmente

Fontes: BND – Diário de Pernambuco, RSSSF Brasil, Futebol Nacional e Site a História do Futebol.

Petrolina Futebol Clube – Escudo e Uniforme de 1998/2001

Por José Henrique, 19 de janeiro de 2020

O Petrolina Social Futebol Clube, foi fundado em 1998 como Petrolina Futebol Clube, nomenclatura que perdurou até o ano de 2001. 
Hoje estamos presentando o raro escudo utilizado pelo Petrolina entre 1998 e ano de 2001 quando o clube conquistou o seu primeiro título no certame estadual.
Petrolina Futebol Clube, Campeão da 2ª divisão de 2001 – Foto: Petrolina Social Futebol Clube/Facebook

Fonte: Petrolina Social Futebol Clube no Facebook.

Grêmio Esportivo Ipiranga de Chã Grande

Por José Henrique, 17 de janeiro de 2020

Ficha do Clube
Nome
Grêmio Esportivo Ipiranga
Fundação
15 de janeiro de 1960
Localização
Chã Grande – Zona da Mata
Mascote
???
Status
Amador
Competição
Campeonato municipal de Chã Grande
O Grêmio Esportivo Ipiranga é um clube de futebol que está sediado na cidade de Chã Grande, que está localizada na Zona da Mata Pernambucana, fundado em 15 de janeiro de 1960 sendo um dos clubes mais antigos daquela cidade.

A história do clube Auri Negro começa em 1960, quando a cidade de Chã Grande ainda era um distrito de Gravatá. Através do desportista Luiz Bernardo o clube foi fundado e futuramente seria a maior força do futebol local.

Time do Ipiranga na década de 1960 – Foto: Chã Grande News
Ao longo de sua história o Ipiranga teve grandes rivais no futebol local como por exemplo o time da Usina Nossa Senhora do Carmo onde era protagonizado o clássico local, e também o clube tinha rivalidade com o Vera Cruz Futebol Clube de Vitória de Santo Antão.

No Campeonato Chã-grandense de Futebol, o time do Ipiranga é o maior campeão disparado com 12 conquistas, o time do Esporte Clube Camela (fundado em 1971 por dissidentes do Ipiranga), que é o seu maior rival tem apenas duas conquistas, o Auri Negro Chã-grandense também já levantou o Campeonato da Liga Desportiva Gravataense e também na Liga Desportiva de Feira Nova.

Por ter sido campeão Gravataense em 1998 o Grêmio Esportivo Ipiranga participou de uma edição da extinta 3ª divisão pernambucana, isso ainda no ano de 1998, infelizmente, não temos o histórico do clube nesta competição.

Fica registrado em nosso Acervo Futebolístico Pernambucano mais um clube histórico de nosso estado.


Fontes: Chã Grande News.

Agradecimentos ao Sr. Ivan da Liga Desportiva Gravataense

Intercontinental Futebol Clube do Recife

Por José Henrique, 12 de janeiro de 2020
Ficha do Clube
Nome
Intercontinental Futebol Clube do Recife
Fundação
26 de dezembro de 1999
Localização
Recife – Capital
Mascote
Saci
Status
Extinto
Competição
Ultima competição em 2006

O Intercontinental Futebol Clube do Recife, ou apenas Intercontinental foi um clube de futebol que tinha sua sede no Recife, porém jogava em outras cidades, o clube ficou conhecido por ser o primeiro dono do CT do Sport Recife.

Fundado em 26 de dezembro de 1999 como um clube empresa, assim como o Unibol de Paulista o Intercontinental teve uma vida muito curta no futebol pernambucano, onde começou profissionalmente no ano de 2000 quando disputou o campeonato pernambucano da 2ª divisão na cidade de Ipojuca, e realizou uma campanha brilhante e por muito pouco não conseguiu o acesso ficando entre os 4 melhores daquela edição.

Já no ano de 2001 o Intercontinental conseguiu campanha ainda melhor no quadrangular final junto com Petrolina de Petrolina, Serrano de Serra Talhada e Unibol de Paulista o Intercontinental alcançou o vice-campeonato da competição e acendeu para a primeira divisão de 2002 junto com o Petrolina.

Na elite pernambucana o Intercontinental conseguiu permanecer por 2 anos, no qual em 2002 ficou no sexto lugar com a seguinte campanha:

Intercontinental em 2002:

Pontos: 22
Jogos: 18
Vitórias: 05
Empates: 07
Derrotas: 06
Gols Pró: 26
Gols Contra: 30
Saldo de Gols: -4
Posição final: 6º lugar entre 10 clubes.

Já no ano de 2003 o clube não realizou uma boa campanha, pois acabou na penúltima colocação e como consequência acabou sendo rebaixado e assim o clube disputou sua ultima edição na elite estadual:

Intercontinental em 2003

Pontos: 18
Jogos: 18
Vitórias:04
Empates: 06
Derrotas: 08
Gols Pró: 29
Gols Contra: 44
Saldo de Gols: -15
Posição Final: 9º lugar entre 10 clubes – Rebaixado

De volta a 2ª divisão no ano de 2004, o Intercontinental junto com Flamengo de Arcoverde, Grêmio Petrolândia e Ferroviário do Cabo desistiram de participar pouco antes do torneio começar, os motivos da desistência nunca foram esclarecidos, mas o mais provável é que tenha sido problema com o mando de campo.

No ano de 2005 o clube volta a disputar a 2ª divisão e com um time já não tão forte como nos anos anteriores o Intercontinental não foi longe na competição, sendo eliminado logo na 2ª fase do torneio.

E no ano de 2006 foi o último ano do Intercontinental Futebol Clube do Recife, e não podia ser de forma mais melancólica possível, pois o time abandonou junto com Manchete, Grêmio Petrolândia e Centro Limoeirense o Campeonato Pernambucano da 2ª divisão quando a tabela já tinha sido divulgada, sendo assim seus jogos foram considerados todos vitórias para os adversários, a partir de 2006 o Intercontinental foi extinto do Futebol Pernambucano.

Durante seus anos ativos o time do Intercontinental nunca mandou um jogo sequer no Recife, pois sempre migrava de cidade em cidade no estado, confiram:

2000 – Estádio Municipal Jacosão em Vicência


2001/2005 – Estádio Municipal de Nossa Srª do Ó – Ipojuca


2006 – Estádio Municipal Moacir Soares – Cupira


A extinção do clube e venda do CT do Intercontinental

Após desistir da 2ª divisão em 2006, os dirigentes do Intercontinental sentiram o quão era difícil manter um clube profissional ativo, e de fato as contas começaram a pesar e a vontade de continuar foi se esvaindo, até que se deu início nas negociações para a venda do CT do Intercontinental, localizado em Paratibe, e seu futuro comprador seria ninguém menos do que o Sport Club do Recife, a venda foi finalizada em setembro de 2008 pelo valor total de R$ 2.000.000,00 (2 milhões de reais).

Centro de Treinamento comprado pelo Sport Recife.

Fontes: Futebol Nacional, RSSSF Brasil, Diário de Pernambuco/Esportes

Canto da Vila Futebol Clube

Por José Henrique, 07 de janeiro de 2020

Ficha do Clube
Nome
Canto da Vila Futebol Clube
Fundação
21 de abril de 1959
Localização
Recife – Capital — Bairro da Várzea
Mascote
???
Status
Em atividade – Amador
Competição
Amistosos e competições pela região


O Canto da Vila Futebol Clube é um tradicional clube do futebol amador da capital pernambucana, o time foi fundado em 21 de abril de 1959, por desportistas locais com o intuito de entrar na segunda divisão amadora de Pernambuco, onde estavam os tradicionais Elmo e Locomoção de Jaboatão e o Yolanda por exemplo, sua antiga sede ficava localizada na Rua Nova Luzitânia, 35 Bairro da Várzea Recife, onde hoje em dia funciona o Espaço Várzea Eventos.

Em toda sua história o clube esteve presente em várias edições do campeonato amador suburbano, e também esteve presente na edição do Campeonato pernambucano da Segunda divisão Amadora no ano de 1970.

Atualmente o clube atua em amistosos pela região e capital pernambucana, nos mais variados campos das várzeas recifenses.



Fonte: Catálogo de entidades Esportivas (André Martins), BND (Diário de Pernambuco)

Guarany Esporte Clube de Camaragibe, Escudo e Foto da década de 80

Por José Henrique, 10 de dezembro de 2019

Fundado em 20 de agosto de 1920, em Camaragibe, o Guarany Esporte Clube é um dos clubes mais velhos do estado de Pernambuco.
Apesar de nunca ter entrado na esfera profissional do futebol, o clube já revelou grandes jogadores para o estado, e dentre eles o que mais se destacou foi o Goleiro Manga, que já passou por Sport Recife, Botafogo do Rio, Internacional e Grêmio do Rio Grande do Sul, Barcelona do Equador e Seleção Brasileira, onde disputou a Copa do Mundo de 1966.

Guarani de Alagoinha

Por José Henrique, 10 de dezembro de 2019

Ficha do Clube
Nome
Guarani Futebol Clube
Fundação
1956 ou 1963 ?
Localização
Alagoinha – Agreste
Mascote
???
Status
Em atividade – Amador
Competição
Amistosos e competições pela região

O Guarani Futebol Clube (Guarani de Alagoinha) é uma agremiação do Município de Alagoinha, localizada no Agreste pernambucano e que está a 225 km da capital do Recife (PE). Com uma população de 14.250 habitantes (Censo do IBGE/2014).
O Alviverde Alagoinhense foi Fundado em 1956, por um grupo de amigos e alguns jogadores, elegendo como presidente Edson Simões Galindo. A sua Sede fica localizada na Rua Primeiro de Novembro, nº 20, no Centro de Alagoinha.
Estádio Municipal Austriclínio Galindo, foto:Blog do Adilson Costa Filho
O Guarani de Alagoinha manda os seus jogos no Estádio Municipal Austriclínio Galindo, situado na Travessa Frei Jerônimo, nº 71, no Centro da cidade. Na esfera profissional, o clube disputou a Copa Intermunicipal de Clubes (equivalente a Terceira Divisão de Pernambuco), em 1999, onde enfrentou o time do Cultural Buíque e acabou sendo eliminado logo na 1ª fase.

Uma curiosidade sobre o time do Guarani de Alagoinha é que o clube foi filiado a Liga de Pesqueira, para ser mais preciso, no ano de 1973, e disputou muitos campeonatos Pesqueirense de Futebol, chegando ao título no ano de 1987.

FONTES: Site História do Futebol – BND Diário de Pernambuco, Blog Adilson Costa
Escudo Redesenhado por Renato Zaraskys