Arquivo mensal: janeiro 2019

Associação Desportiva Vitória – Desportiva Vitória

Por Henrique Martins, Adm do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
27/01/2019

Ficha do Clube
Nome
Associação Desportiva Vitória
Fundação
03 de Agosto de 1990
Cidade/Mesorregião
Vitória de Santo Antão – Zona da Mata
Mascote
Taboquito
Status
Extinto
Competição
Pernambucano Série A2 – 2007 (Última competição)
O Clube
A Associação Desportiva Vitória, foi um clube de Futebol sediado na cidade de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Pernambucana, foi sem dúvidas uma das maiores forças do futebol do interior na década de 90.
História

Fundada em 03 de agosto de 1990, a Desportiva Vitória surgiu numa iniciativa do Dr. Paulo Roberto Leite de Arruda e do saudoso José Edson da Silva “Zezinho do Corinthians” presidente da Liga Vitoriense de Futebol, juntaram-se a eles os desportistas Neildo David, Valmir Willians, Adílson S. de Brito, Elpídio Moura, Bartolomeu de Souza, Geraldo Lima, Pindoba, João Cerino, Giselda Tavares e Alcides Gomes que resolveram criar um time profissional à altura da cidade e que pudesse também estimular a prática entre as crianças e adolescentes da região.
O seu principal rival é o Vera Cruz (time da mesma cidade) que também joga no estádio Carneirão em Vitória de Santo Antão, os dois times fazem o clássico VI-VER.
O Vitória foi desfiliado da FPF (Federação pernambucana de Futebol) em 2007, ano este em que foi extinto.
Durante sua existência, o time do Vitória mandava seus jogos no Estádio Municipal Severino Cândido Carneiro ou o popular Carneirão, de capacidade para 10.911, torcedores, que infelizmente foi esquecido pelo poder público local e hoje se encontra em um completo estado de abandono, forçando os atuais times da cidade, Acadêmica Vitória e Vera Cruz a mandarem seus jogos em outras cidades.


Carneirão em 2016 – Foto, Globoesporte.com
Carneirão em 2018 – Foto, Wellington Araújo (@wareporter)

O Estádio Carneirão já recebeu um recorde de público de 10.081 pessoas, em jogo válido pelo campeonato pernambucano da 1ª divisão em 1998, no jogo em questão empate entre a Desportiva Vitória e o Náutico por 1×1.

O time da Desportiva Vitória era considerada uma das potências no futebol do interior pernambucano na década de 90, o time além das boas campanhas na edições do campeonato pernambucano, ainda esteve presente em cinco edições do Brasileirão da 3ª divisão

Colocações em competições

Campeonato Brasileiro 3ª divisão

1992 – 11º, 1994 – 15º, 1995 – 35º, 1997 – 47º e 2005 – 63º

Campeonato Pernambucano 1ª divisão

1991 – 4º, 1992 – 5º, 1993 – 5º, 1994 – 6º, 1995 – 6º, 1996 – 4º, 1997 – 8º, 1998 – 7º, 1999 – 4º, 2000 – 8º, 2001 – 10º, 2005 – 6º e 2006 – 10º.

Campeonato Pernambucano 2ª divisão

2004 – 2º, 2007 – 14º

Copa Pernambuco

1994 – 2º, 1995 – 1º, 1996 – SD, 1997 – SD, 1998 – SD, 1999 – SD, 2000 – SD, 2001 – SD, 2002 – SD, 2003 – 3º, 2004 – 1º, 2005 – SD.

Fotos e Imagens Raras

Time da Desportiva Vitória na década de 90 – foto: Panorama Esportivo
Time da Desportiva Vitória em 1991 – foto: 

Time da Desportiva Vitória na década de 90 – foto: Futebol No Domingo

Com a extinção da Desportiva Vitória, a equipe renasceu como um novo clube, que é a Acadêmica Vitória, que inclusive utiliza as mesmas cores do antigo clube, é bom lembrar que não são a mesma equipe, são clubes diferentes da mesma cidade.
Escudos antigos
 Vitória(AD)/PE [BRA]

Fontes: Bola na Área, Wikipédia, Panorama Esportivo, Futebol Nacional, Futebol no Domingo, Nossa Vitória.

Publicidade

Paulistano Futebol Clube

Por Henrique Martins, Adm  do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
20/01/2019

Ficha do Clube
Nome
Paulistano Futebol Clube
Fundação
07 de Agosto de 1982
Cidade/Mesorregião
Paulista – Grande Recife
Mascote
—-
Status
Desativado
Competição
Pernambucano Série A1 – 1993
O Clube
Paulistano Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol do município de Paulista, atualmente encontra-se desativado, porém esteve presente no campeonato estadual entre os anos de 1982 a 1993, quando foi rebaixado.

Para podermos começar a falar do Paulista Foot-Ball Club e do Paulistano Futebol Clube, precisamos falar do Paulistano Esporte Clube, antigo time da cidade que foi fundado em em ainda na década de 20


Voltando para a década de 1910


Escudo do Paulista

Voltando a década de 1910


Fundado em 08 de março de 1915, o time do Paulista Foot-Ball Club nasceu quando a cidade de Paulista ainda era um distrito da cidade de Olinda, e suas origens são da CTP (Companhia de Tecidos Paulista), onde também mandava seus jogos (campo da CTP – 1.500 torcedores).

O time do Paulista esteve presente em duas edições do Campeonato Pernambucano de Futebol, 1916 e 1917, se tornando o primeiro clube fora de Recife a participar do estadual, onde no qual realizou campanhas modestas, tendo inclusive abandonado a competição em 1917, perdendo por W.O seu último jogo contra o Casa Forte FC.

Depois de 1917 o clube jamais retornou para o estadual, permanecendo desativado até os dias atuais.


Avançando para a década de 1920

No dia 16 de Janeiro de 1922 era fundado o time do Paulistano Esporte Clube, onde desde então o clube passaria a representar a cidade em competições estaduais e também participaria do campeonato citadino local, porém o clube jamais conseguiu entrar no Campeonato Pernambucano, e em nossas pesquisas não encontramos nenhum registro sobre sua participação nos campeonato da cidade.

Recorte de Jornal com o escudo do Paulistano EC

O maior indício de que o Paulista Foot-Ball Club passou a se chamar Paulistano Eporte Clube, é o fato de seus fundadores serem a mesma pessoa, o Coronel Frederico Lundgren, onde alem de manter os escudos parecidos, as cores também permaneceram no caso era o Azul e Amarelo.

Esse fato pode ser visto no mesmo jornal de onde o escudo saiu, portanto essa é uma informação sem concretização, ou seja pode ser tratada como um conto do futebol.

Para conferir essa história completa cliquem nos links abaixo:

>>> Paulista Foot-Ball Club <<<

>>> Paulistano Esporte Clube no Pernambucano <<<

De volta para a década de 1980

Em 1980 a ideia de que Paulista merecia um time profissional na elite estadual já estava madura e também já era concreta, só que para isso se houve muitas opções e dentre as mais viáveis, era de pegar um clube amador forte filiado a Liga de Paulista e profissionaliza-lo, onde os favoritos eram a Associação Esportiva Palmeiras (Campeão da Copa do Interior de 1980) e o Vera Cruz Futebol Clube (Várias vezes campeão do município).

Porém o então prefeito, Ademir Cunha em reunião com dirigentes de vários clubes amadores, optou por ressuscitar o Paulista Foot-Ball Club, que estava desativado desde 1917, o que gerou divergências com a FPF, que alegava que trazer o antigo Paulista seria muito problemático juridicamente.

Com isso o prefeito decidiu então criar um novo clube, que levaria consigo o nome e as cores da bandeira da cidade para a elite estadual, e assim em 07 de agosto de 1982 nascia o Paulistano Futebol Clube, que mandaria no também novíssimo estádio Ademir Cunha, que na época de sua inauguração possuía a capacidade para 20.000 torcedores.

Trajetória na elite estadual

O Paulistano esteve presente em 12 edições do campeonato estadual, onde brigava de igual para igual com os times intermediários, e em sua maioria das vezes, encerrando a competição no meio da tabela, confiram as colocações finais de cada ano do Paulistano na elite estadual.

1982 – , 1983 – , 1984 , 1985 , 1986 , 1987 , 1988 , 1989 , 1990 , 1991 , 1992 , 1993 9º.

Brasileirão Série C

No ano de 1987 o 5º lugar no campeonato pernambucano, rendeu ao Paulistano uma classificação Inédita para o campeonato brasileiro da ´série C de 1988, onde o clube caiu no grupo 2, junto a Botafogo – PB, Auto Esporte – PB e Alecrim – RN, tendo inclusive se classificado para a segunda fase onde caiu em um forte grupo junto a Botafogo – PB, Campinense – PB e ABC – RN, tendo ficado em último neste grupo e sendo eliminado da competição, fechando a competição no 19º lugar geral.

Confiram os jogos do Paulistano na Série C de 1988:

1ª Fase
Paulistano 0x0 Alecrim (4×3)
Paulistano 0x1 Auto Esporte
Auto Esporte 1×4 Paulistano
Botafogo 2×0 Paulistano
Paulistano 0x1 Botafogo
Alecrim 0x1 Paulistano

2ª Fase

Campinense 3×2 Paulistano
Paulistano 1×0 ABC
Paulistano 0x1 Botafogo
ABC 1×0 Paulistano
Paulistano 1×4 Campinense
Botafogo 0x2 Paulistano

O fim do clube

Não existe nenhuma fonte concreta que confirme o fim do Paulistano, mais o que nos podemos especular é que o time teve o mesmo final de muitos clubes no interior pernambucano, onde os patrocínios se vão, a prefeitura deixa de apoiar, e o clube fica sem saída, com dívidas trabalhistas e outras mais, no Campeonato Pernambucano de 1993 o time foi eliminado/rebaixado da competição, junto com Sete de Setembro e Íbis, e deste ano para cá o time não mais voltou para as competições oficiais.

Houve um tentativa de alguns empresários de trazer o clube de volta a ativa no ano de 1999, porém não obtiveram sucesso, e assim o Paulistano ficou na história de Pernambuco.

Ídolos

Dentre os maiores destaques que já passaram pelo Paulistano, podemos destacar Givanildo Oliveira, que treinou o clube em 1991, e claro o atacante Rivaldo, que jogou na escolinha do Paulistano antes de ir para o time do Santa Cruz.

Rivaldo no Paulistano – Foto PE Retrô

Imagem rara



Fontes: Wikipédia, Blog a História do Futebol, Bola na Área, Diário de Pernambuco e Futebol Nacional.
Escudo do Paulista Foot-Ball Club redesenhado por Sérgio Mello do Blog a história do Futebol.

Sociedade Esportiva Decisão Futebol Clube

Por Henrique Martins, Adm do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
18/01/2019
Ficha do Clube
Nome
Sociedade Esportiva Decisão Futebol Clube
Fundação
28 de Outubro de 1996
Cidade/Mesorregião
Recife – Capital
Mascote
Falcão
Status
Em atividade
Competição
Pernambucano Série A2 – 2019
O Clube
O Decisão foi fundado em 28 de outubro de 1996, na cidade do Recife, onde no qual atuou até 2000, geralmente no estádio dos Aflitos.

Sim, não é de se estranhar, como o escudo antigo já indica o time do Decisão nasceu do Colégio Decisão do Recife, sendo por um bom tempo como a única escola do Brasil a possuir um clube de futebol profissional, atuando em competições oficiais.

E sua trajetória nas competições oficiais já começou no ano de 1997, quando o clube entrou na série A2 estadual e de lá até 2018 se foram 13 campeonatos pernambucanos da série A2, porém o clube jamais alcançou a Série A1, tendo batido na trave em 04 ocasiões, 2010, 2011, 2017 e 2018, onde em todas elas o clube foi eliminado nas semifinais da competições, confiram as colocações do clube na série A2

1997 , 1998 10º, 1999 , 2000 17º, 2001 16º, 2003 , 2004 11º, 2007 12º, 2008 14º, 2010 , 2011 , 2017 , 2018 3º.

Além da série A2 o clube também disputou duas edições da extinta Copa Pernambuco, no ano de 2001, quando foi vice-campeão e em 2003, quando ficou na 9ª colocação geral.

Clube Andarilho

Desde sua fundação, o time do Decisão nunca teve um estádio próprio, e assim como muitos clubes teve que se virar para conseguir um local para atuar, originalmente o clube atuou em Recife apenas por dois anos, 1997 e em 2001 nos demais o clube sempre esteve em outras cidades confiram:

1998/1999/2000/2008 – Itambé, lá o clube mandou seus jogos no estádio Municipal José Pereira de Andrade de capacidade de 4.000 torcedores.


2003 – Camaragibe, mais próximo de Recife o Clube mandou seus jogos no estádio municipal Profº Luiz Alexandrino de capacidade de 1.500 torcedores.


2004 – Timbaúba, já na Zona da Mata Norte, o clube mandou seu jogos no estádio Municipal Ferreira Lima, de capacidade para 7.000 torcedores.


2007/2017/2018/2019 – Bonito, em 2019, será o 4º ano do clube na cidade de Bonito onde lá manda seus jogos no estádio Municipal Artur Tavares de Melo, de capacidade para 4.000 torcedores.




2010/2011 – Chã Grande, no biênio 2010 e 2011 o clube fez parceria com a cidade de Chã Grande, mandando seus jogos no estádio Municipal Ewerson Simões Barbosa, de capacidade para 3.600 torcedores.


Parcerias

Durante seus anos de existência o time do Decisão já fez várias e várias parcerias, dentre as mais populares podemos citar em 2014, quando o clube fechou com a equipe americana do Flórida Rush, com objetivo melhorar a cooperação técnica e na base, porém não teve muito sucesso e foi desfeita ainda no mesmo ano.

Escudo em 2014
Uma curiosidade desta parceria é de que o clube estava sediado em Camaragibe, porém o estádio não reunia condições, e esse foi um dos fatores para o fim da parceria.

No ano de 2010, o time fechou parceria com a prefeitura de Chã Grande, onde o clube atuaria como uma espécie de “fusão” com o Chã Grande FC, a parceria encerrou em 2012, neste ano o clube ainda atuava com seu escudo antigo.

E finalizando, em 2017 o time voltou para a cidade de Bonito depois de 10 anos vagando por outras cidades de Pernambuco, fechando parceira com a prefeitura local, o clube passou a adotar o nome Decisão/Bonito Futebol Clube, onde esta parceria vem provando ser a mais bem sucedida até então, pois em 2017 e em 2018 o clube bateu na trave para subir a elite estadual.

Escudo utilizado atualmente
Time do Decisão em 2018


Fontes: Rsssf Brasil, Wikipédia, Blog a História do Futebol
Escudo de 2014 Redesenhado por Sérgio Mello do Blog a História do Futebol

Íbis Sport Club

Por Henrique Martins, Adm do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
14/01/2019

Ficha do Clube
Nome
Íbis Sport Club
Fundação
15 de Novembro de 1938
Cidade/Mesorregião
Paulista – Grande Recife
Mascote
Íbis
Status
Em atividade
Competição
Pernambucano Série A2 – 2018
O Clube
Íbis Sport Club é um clube de futebol da cidade de Paulista, no estado de Pernambuco. O time ficou famoso depois que ganhou o epíteto de “pior time do mundo”, afinal de contas “nada pode ser pior”. O mascote do time é o íbis, animal da mitologia egípcia.
O Íbis Sport Club foi fundado em 15 de novembro de 1938, como forma de entretenimento para os trabalhadores da Tecelagem de Seda e Algodão de Pernambuco (TSAP). A princípio apenas funcionários da empresa jogavam e mesmo assim eram partidas amistosas. Depois, o clube cresceu e se profissionalizou, tornando-se um dos clubes fundadores da Federação Pernambucana de Futebol. Com o passar do tempo e as dificuldades surgindo, o time foi abandonado pela TSAP e abraçado pela Família Ramos, que o mantém até hoje. O símbolo, a íbis sagrada do Egito antigo e a cor rubro-negra é uma referência ao escudo da TSAP.
No final dos anos 1970 e início dos anos 1980, o Íbis ganhou fama mundial por sua péssima qualidade nos gramados. Graças a nove derrotas consecutivas e depois uma sequência de 23 jogos sem vitórias, conquistou fama nacional. Foram três anos e onze meses sem comemorar uma única vitória, recorde registrado no Livro Guinness dos Recordes. A fama de pior time do mundo veio com uma brincadeira de jornalistas da época.
No estadual de 1980 o Íbis venceu o Ferroviário por 1 a 0 em 20 de julho. Depois disso o time só voltaria a ganhar em 17 de junho de 1984, quando bateu o Santo Amaro por 3 a 1. Curiosamente, antes de vencer o Ferroviário, o clube já vinha de dezenove jogos sem vencer, entre 1978 e 1979.
No ano de 1999 o Íbis sagrou-se vice-campeão estadual da segunda divisão, com o seguinte time-base: Júnior, Sandro, Wilton, Fio, Cristiano, Mosinho, Carlinhos, Oziel, Valteci, Carioca e Esdras. O treinador era Marcos Costa.
A última participação do clube na primeira divisão do Campeonato Pernambucano aconteceu em 2000; desde então, o Íbis disputa a Série A2. Dentro de campo, os tempos de folclore ficaram para trás; hoje, o clube entra no torneio para valer, buscando o retorno à elite do futebol estadual.
E podemos comprovar isso nas duas últimas participações do clube na série A2, em 2017 o time só foi parado pelo Decisão de Bonito na 2ª fase, ficando na 5ª colocação no geral, e em 2018 o time foi surpreendido e eliminado pelo Serrano, que foi beneficiado com a perda de pontos do 1º de Maio e o Pássaro Preto acabou eliminado nos pênaltis para o Jumento de Aço do Sertão.

Resultado de imagem para Íbis Sport Club anos 80
Time do Íbis nos anos 80

Ao todo o time do Íbis esteve presente em 

Temporadas do Íbis na 1ª divisão estadual
1947 – 5º
1948 – 5º
1949 – 7º
1950 – 5º
1951, ND
1952 – 6º
1953 – 7º
1954 – 6º
1955 – 7º
1956 – 6º
1957 – 6º
1958 – 8º
1959 – 5º
1960 – 6º
1961 – 6º
1962 – 6º
1963 – 8º
1964 – 8º
1965 – 6º
1966 – 7º
1967 – 7º
1968 – 8º
1969 – 8º
1970 – 8º
1971, ND
1972 – 8º
1973 – 7º
1974 – 8º
1975 – 8º
1976 – 7º
1977, ND
1978 – 8º
1979 – 9º
1980, 10º
1981, 10º
1982, 11º
1983, 10º
1984, 10º
1985, 10º
1986, 10º
1987, 11º
1988, 10º
1989, 12º
1990, 12º
1991, 13º
1992, ND
1993, 13º
1994, 16º
1995, ND
1996, ND
1997, ND
1998, ND
1999, ND
2000, 9º

Temporadas do Íbis na 2ª divisão

1977, 8º
1995, 6º
1996, SD
1997, 5º
1998, 8º
1999, 2º
2000, ND
2001, 14º
2002, 3º
2003, 14º
2004, 17º
2005, 9º
2006, 16º
2007, 11º
2008, 12º
2009, ND
2010, 13º
2011, ND
2012, 13º
2013, 9º
2014, 9º
2015, 10º
2016, 7º
2017, 5º
2018, 5º


Torre Sport Club – Recife

Por Henrique Martins, Adm do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
06/01/2019

Ficha do Clube
Nome
Torre Sport Club
Fundação
13 de Maio de 1909
Cidade/Mesorregião
Recife – Capital
Mascote
Pica-Pau
Status
Extinto
Competição
Campeonato Pernambucano de 1940 – última competição oficial
O Clube
O Torre Sport Club foi um time de futebol sediado na cidade do Recife, no Endereço da Rua da Imperatriz, 168 – 1º andar no bairro da Boa Vista, durante sua trajetória o clube sempre foi considerado como um dos maiores do Estado, principalmente no final da década de 20 e começo da de 30.

Fundado no ano de 1909 o time do Torre tem sua origem de um time ainda mais antigo, o Agro Esporte Clube, que era oriundo da Escola de Agronomia do Socorro na cidade Jaboatão, no Grande Recife.

O time do Torre foi um dos fundadores da LSP – Liga Sportiva Pernambucana, que atualmente se chama FPF – Federação Pernambucana de Futebol.

No Campeonato Pernambuco o time do Torre esteve presente em 24 edições, onde conquistou 03 títulos e 04 Vice-campeonatos, além de 02 torneios Início de Pernambuco.

1915 (3º lugar), 1916 (6º lugar), 1917 (3º lugar), 1918 (6º lugar), 1919 (4º lugar), 1920 (3º lugar), 1921 (4º lugar), 1922 (4º lugar), 1923 (3º lugar), 1924 (3º lugar), 1925 (2º lugar), 1926 (1º lugar), 1927 (2º lugar), 1928 (2º lugar), 1929 (1º lugar), 1930 (1º lugar), 1931 (4º lugar), 1932 (7º lugar), 1933 (8º lugar), 1934 (7º lugar), 1935 (5º lugar), 1936 (9º lugar) e 1940 (7º lugar).

Time do Torre Campeão em 1926
Os Títulos

O Torre é o 5º maior clube pernambucano quando se fala em títulos, são três estaduais, sendo o primeiro em 1926, onde foram 08 vitórias e 02 empates e 01 derrota, depois de ficar com o vice-campeonato em 1927 e 1928 as esquadra rubra conquistou o título de 1929 de maneira invicta, onde foram 09 vitórias e 04 empates e em 1930 veio seu último título onde em 09 jogos foram 07 vitórias e duas derrotas.

Time do Torre Campeão em 1929


O Fim da Esquadra Rubra

E logo após o incrível Tri-campeonato o time do Torre começou a ter problemas internos e as dificuldades de se adequar a era profissional que já batia na porta dos clubes pernambucanos, a esquadra rubra passou de favorito a mero figurante nos campeonato seguinte, onde podemos notar que de 1931 até 1936 o clube não chegou nem mais assustar os campeões, e ao término de 1936 o clube se afastou da competição por três anos, retornado em 1940, onde disputou seu último campeonato pernambucano, e que também não ficou em uma boa posição e solicitou mais uma vez seu afastamento, onde desta vez foi para nunca mais retornar.

Mais antes de seu afastamento definitivo o time do Torre foi reorganizado em 1938 e em 1939 o time se sagrou campeão da divisão branca, que era uma espécie de campeonato pernambucano da 2ª divisão, e com isso parecia que o time iria retornar para os títulos, mais não foi o que aconteceu, pois o time não consegui se adequar a era profissional, e assim como muitos outros clubes de tradição do Recife, sucumbiu na década de 1940, mais precisamente em 1943.

Outro ponto que é importante ser mencionado é de que o time do Torre era gerido principalmente por figurões da política estadual durante sua existência que a medida que esses políticos saiam do cenário local o time se sentia mais enfraquecido e procurava forças para seguir em frente e não encontrava, sendo um dos pontos mais decisivos para sua extinção.

É interessante mencionar este ponto como um dos motivos da extinção do Torre, pois até nos dias atuais vemos clubes principalmente no interior que são comandados por políticos, onde aparecem em alguma competição e logo somem, pela saída do político do poder.

Após abandonar o Campeonato pernambucano disputou nos anos de 1941 e 1942 a Copa da Torre onde conquistou o título neste ultimo ano, onde no ano seguinte foi posto um ponto final na vida do clube.

O legado de títulos do Torre é muito grande em Pernambuco, confira as conquistas:

Pernambucano 1ª divisão – 03 títulos
Pernambucano Divisão Branca – 01 Título
Torneio Início – 02 Títulos
Liga Desportiva da Torre – 01 Título
Liga Suburbana – 04 títulos
Copa da Torre – 08 Títulos

Escudos utilizados pelo Torre Sport Club


Fontes: Blog a História do Futebol, Vapores no Céu(fotos), Wikipédia
Texto Original escrito e pesquisado por Sérgio Mello do Blog a História do Futebol, Escudos encontrados no Pinterest.

Vera Cruz Futebol Clube – Abreu e Lima

Por Henrique Martins, Adm do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
03/01/2019

Ficha do Clube
Nome
Vera Cruz Futebol Clube
Fundação
21 de abril de 1949
Cidade/Mesorregião
Abreu e Lima – Grande Recife
Endereço
Rua São Severino, Nº 42, Centro
Status
Extinto
Competição
Copa do Interior de 1973 – última competição oficial
O Clube
O Vera Cruz Futebol Clube, foi um time de futebol sediado na cidade de Abreu e Lima, que antes era um distrito da cidade de Paulista, ambas as cidades estão localizadas no Grande Recife.

O fundado na no final da década de 40, mais precisamente em 1949, o clube era uma das forças da cidade de Paulista, sendo inclusive um dos candidatos a se tornarem profissional, pois o clube sempre apresentava boas campanhas no campeonato citadino de Paulista, conquistando inclusive vários títulos no certame.

Porém, apesar do clube jamais ter saído do amadorismo, o time esteve presente na Copa do Interior no ano de 1973, onde o mesmo caiu no Grupo 6 junto com Condor EC de Olinda, AFASA de Igarassu, JET de Timbaúba e Santa Cruz de Goiana.

Confira a tabela do grupo 6 da Copa do Interior de 1973:
Infelizmente em nossas pesquisas não conseguimos encontrar todos os resultados da competição.

Algumas fotos raras:

1ª Sede
Time em 1966
Time na Década de 80

Outro Escudo encontrado:

Fontes: Blog A História do Futebol, Diário de Pernambuco, Acervo Vitual de Abreu e Lima e também do pesquisador Sérgio Mello que colaborou com o endereço da sede e fundação do clube.

Ferroviário Esporte Clube do Cabo

Por Henrique Martins, Adm. do Blog Acervo Futebolístico Pernambucano
17/11/2018

Ficha do Clube
Nome
Ferroviário Esporte Clube do Cabo
Fundação
18 de Dezembro de 1961
Cidade/Mesorregião
Cabo de Stº Agostinho – Região Metropolitana
Estádio
Gileno de Carli – 5.500
Status
Profissional – Base
O Clube
O Ferroviário Esporte Clube do Cabo, é um time de futebol situado no bairro do Centro da cidade do Cabo de Santo Agostinho, localizado na Região Metropolitana do Recife.

O Trinca-ferro foi fundado no dia 18 de dezembro de 1961. Sua maior conquista é o Campeonato Pernambucano de Futebol da 3ª Divisão de 2000, além de um vice-campeonato da mesma competição em 1999.

Desde sua fundação o clube tem se dedicado a competições amadoras citadinas e regionais, quando o clube entrou na esfera do futebol profissional no ano de 1999, ao ser campeão municipal do Cabo em uma final disputada contra o Centro Esportivo FC, conquistando assim seu direito de disputar a Copa intermunicipal de Clubes campeões, que era considerada uma 3ª divisão estadual, a competição na época era de caráter amador, porém o campeão ganhava da Federação Pernambucana de Futebol a profissionalização, e o torneio daquele ano de 1999 acabou sendo vencido pelo Ramalat de Ouricuri vencendo o tricolor cabense na final.

No ano de 2000 a situação foi diferente pois o time do Ferroviário do Cabo foi campeão de forma invicta da competição, em uma final emocionante diante do time do Comercial da cidade de Pesqueira, onde no jogo de ida no Gileno de Carli empate por 2×2 e na volta no Joaquim Brito de Melo em Pesqueira vitória por 2×1, dando o título a tricolor cabense, e com isso a profissionalização, e por consequência o time estava classificado para a série A2 estadual, onde permanece até os dias atuais.

Na série A2 o time do Ferroviário do Cabo alterna bastante com campanhas medianas e campanhas fracas, porém no ano de 2009 o time bateu na trave na luta para o acesso a 1ª divisão, em uma campanha regular o time que era treinado por Cláudio Adão (ex-jogador do Santa Cruz nas décadas de 70 e 80) só foi parado pelo Vera Cruz de Vitória de Santo Antão nas semifinais, o Galo das tabocas foi o campeão deste ano de 2009.

E de 2009 para 2018 o time não conseguiu mais repetir a boa campanha na segundona estadual, permanecendo quase sempre no meio da tabela e na parte de baixo.

Títulos
Pernambucano A3
2000
Municipal do Cabo
1986
1988
1989
1998
1999

Os títulos municipais
O time do Ferroviário do Cabo é um dos maiores campeões locais na cidade do Cabo de Santo Agostinho, em sua galeria tem um total de 05 títulos, e vários vice-campeonatos.

Três títulos do clube vieram na década de 80, já os outros dois na década de 90, confira:

1986
Campeão – Ferroviário do Cabo
Vice – Escolinha FC

1988
Campeão – Ferroviário do Cabo
Vice – EC Gaibú

1989
Campeão – Ferroviário do Cabo
Vice – América de Suape

1998
Campeão – Ferroviário do Cabo
Vice – Goiás de Ponte dos Carvalhos

1999
Campeão – Ferroviário do Cabo
Vice – Centro Esportivo FC

Nos anos em que não conquistou o título, o clube sempre permanecia em boas colocações no certame do Cabo, e ao que tudo indicava, o clube estava pronto para alçar voos maiores no futebol estadual.

E em 1996 foi criada a Copa intermunicipal de clubes campeões municipais, uma competição que era nos moldes das antigas Taça Pernambuco na década de 60 e da Copa do Interior nas décadas de 70 e 80.
Em 1999 a Copa passou a premiar o campeão com a profissionalização e o direito de disputar a segunda divisão e o Ferroviário do Cabo faz sua estreia e de cara chega na final contra o Ramalat de Ouricuri, e em 2000 se maior título conquistado, Campeão estadual da 3ª divisão de 2000 (a partir de 1999 o campeonato passou a ser conhecido como 3ª divisão estadual) o que lhe rendeu a profissionalização e a disputa da segunda divisão, no qual o clube permanece até os dias de hoje.

Desempenho em competições
Pernambucano Série A2
2001
2002
13º
2003
2006
13º
2007
2008
10º
2009
2010
11º
2011
2012
14º
2013
14º
2014
12º
2016
2017
10º
2018
13º

Pernambucano Série A3
1999
2000

Fotos Raras
Ferroviário do Cabo, campeão cabense em 1989

Agradecimentos ao Sr. Agemiro, Popular Nino, presidente do Ferroviário Esporte Clube do Cabo que forneceu informações valiosas como a confirmação do clube como os títulos municipais, foto e informações do clube na 3ª divisão.